Todos os posts de Bruno Baptistelli

vamos indo…

1) É difícil muitas vezes saber o que e quando mostrar algo.

Os posts pra mim funcionam um pouco assim. Tenho a idéia de apresentar o processo, como disse já de início. Mas esse processo é muito mais amplo do que ocorre propriamente na casa. A casa tá na cabeça.

E daí fico acumulando coisas a serem compartilhadas (que eu acho que devem ser compartilhadas) e adiando para usar este meio devido ao fato de que às vezes não são ferramentas próximas.

O melhor mesmo é o encontro. Ao vivo. E a troca sem porquês.

E o encontro na casa está muito legal. Hoje a conversa foi boa.

A coisa está se clarificando no espaço. As “bagagens” de todos estão se somando naquele espaço pelo encontro. 

Resumindo penso: o espaço* é para existir algo, o tempo é que está agindo e influenciando no grau de relação. E acho eu que temos muito tempo. Temos apenas 20 e poucos anos…

*escrevi alguma sobre espaços em um texto no site www.bebaprafrente.com

2) Sobre o processo, criei uma dinâmica que começa pelos registros fotográficos que já publiquei alguns.

Daí pego alguma coisa e agora estou fazendo colagens. E o gUI está colaborando nesse ponto de coleta.

Tenho um método de construção dessas colagens que partem sempre da idéia de um núcleo.

Veio da observação das imagens dos “lixinho” que possuem núcleos de resíduos (energia consumida).

Vou fazendo isso, e acho que não estou inventando nada por enquanto, mas me ocupando de “mexer” com as coisas e as pessoas.rs

Primeiros dias

DSC06434

Olás,

O espaço que mais ficamos dentro da casa, é a parte do “subsolo” .  (subsolo pela frente e no nível da rua na parte de trás por conta do terreno)

Tentei nesses primeiros dias ver o que me interessava dentro desse espaço. Fiz registros de coisas que me chamavam a atenção num primeiro momento e depois comecei a manipular essas coisas também. A foto que tirei acima, é dos livros  dos participantes da casa. Descobri isso justamente por mexer neles.

O projeto será desenvolvido justamente pelo “mexer” nas coisas, penso eu. Tentar após uma identificação visual com o objeto manipulá-los. Criar uma relação não só visual. (um pouco do que já ocorre pela dupla bebaprafrente. Só não sei ainda a maneira de apresentação disso, mas depois falo sobre isso)

Penso que tratamos assim nossa casa. A que moramos.

Criamos uma relação além da puramente visual com os objetos e vamos resignificando sua utilidade. Vamos dando nova vida as coisas pelo valor sentimental que dispendemos.

O que registro no momento são os objetos descartados por nós, que adquirem uma visualidade também dentro dos cestos. Estou criando um banco de dados fotográficos disso e recolhendo alguma coisa também.blog1

Por enquanto é isso e conhecer melhor as pessoas que estão no projeto. Conversei um pouco com o Basbaum sobre a infelicidade que ocorreu no Rio com as obras de Helio Oiticica que queimaram, e um pouco sobre arte e vida. Coisa tão complicada de se falar.

Encontro bastante a Adelita e começamos a conversar sobre um trabalho coletivo. Vamos ver no que dá….

até.

Beba

Início das Atividades

O primeiro post. Justamente para falar sobre o primeiro dia. Que não ocorreu…foi adiado.

Pela sucessão de eventos e pendências que se acumulam em nossas vidas e que nos cobram tbm.

Uma pena, mas hoje não consegui ir.

Mas de certa forma também, serve para que eu possa falar um pouco sobre minha expectativa. Pretendia ter publicado ontem o que faço agora.

Acho primeiramente muito legal a proposta das meninas que conheci por conta do acaso. Um acaso por afinidades e que vão puxando outros “acasos” também. Muito legal a idéia de juntar as pessoas, porque pra mim, essa é uma questão pertinente. E muito importante conseguir viabilizar a proposta.

Penso que nos primeiros dias, me dedicarei a estudar o espaço da casa através de registros. Fotos, desenhos, anotações. Ler um pouco e conhecer as pessoas. Tentar entender o tempo da casa e da minha produção/relação com ela.

Levarei comigo um livro base para esses primeiros dias e estarei por lá pela manhã até a hora do almoço. Tentarei publicar aqui essas primeiras impressões.

até!

quem quiser vai lá, vamos lá.

Beba

Bruno Baptistelli

beba1

Bruno Baptistelli ou “Beba”, é formado em artes plásticas pela UNICAMP. Tem em sua formação cursos com Leda Catunda, Dudi Maia Rosa e Sérgio Niculitcheff. Atualmente é também assistente da artista Shirley Paes Leme e estagia no SESC Ipiranga.

No ano de 2007 criou com gustavoprafrente a dupla Bebaprafrente, e atuam principalmente entre as cidades de São Paulo e Curitiba. Entre as principais exposições que participaram encontram-se: Bolsa04-Fundação Cultural Curitiba, Bienal Ventosul e 18º Encontro de Artes de Atibaia.

Estuda a deflagração e a criação do/no “espaço” produzindo pinturas, fotografias e intervenções no espaço urbano. Recentemente finalizou a pesquisa “Da Pintura ao Espaço Vida” financiada pela PIBIC-CNPQ.