Todos os posts de Mariana Poppovic

Eye Candy

Quem não adora um bom blog de referências?

Bom, eu adoro. E se falarmos em blogs de moda de rua, desses que fotografam looks ineressantes pelo mundo, trata-se praticamente de uma epidemia. E uma espécie de guia essencial e mutante pra quem trabalha na área. Tudo isso já foi dito, mas ficam duas das minhas dicas favoritas nas duas categorias: (clica na imagem pro site)


edit: corrigi o link das imagens, agora elas mandam pro lugar certo.

sobre sobre sobre

tenho evitado escrever com mais seriedade sobre mim ou o que tenho feito na casa, e acho que essa é a descrição perfeita pra ambos. Quem está por aqui comigo já sabe que mais seriedade e sobre mim são conceitos um pouco conflitantes e tenho certa aversão de autodestrinchamentos via internet, então espero que isso já baste, etc.

E me parece, ao mesmo tempo, desnecessário. Passo maior parte do meu tempo observando o outro. Os olhos do outro, a boca do outro, os cabelos do outro, a conversa do outro, o jornal do outro, as mãos do outro, os pés do outro, a camisa do outro, a jaqueta do outro, a maleta do outro, os olhos do outro, os braços do outro, os passos do outro, os olhos do outro. E até onde me interessa, eu sou o outro.

Ok, eu prometi pra esse grande ninguém/mundo todo que é um blog um pouco mais sobre meu trabalho e promessa é dívida, então é o seguitche: Mais uma observação do outro, um retrato dos outros que me circulam durante esse mês e minhas impressões sobre o que está em suas cabeças nesse momento. Uma brincadeira com identidade, exploração da superfície/superficialidade (não consigo sair da minha monografia, pois é), moda e desenho.

Ah sim, falando em promessa, o vídeo escroto que eu prometi pro henri e pro bruno!

Mais depois (procrastinação)

beijo, tchau

profissões

Hoje lendo no jornal sobre “o desempregado Rui Mário Maurício Macedo, 34, o Romarinho” caí na conclusão previsível que a profissão serve mais para o cidadão do dia-a-dia poder nos rotular com maior facilidade no momento do confronto.

Cláudia Rodriguez, advogada. Mentiroso profissional.

Celso R. D. Sousa, médico. Acima do bem e do mal.

Joel Guimarões Neto, político. Lábia institucional.

Joãozinho Voz de Mel, músico. Vagabundo alto-astral.

Gabriela Augustin, estilista. Fútil e burra.

Hahahaha, aiaiai. I joke, I partly joke.

E enquanto isso, eu sigo na reta final pra ganhar o meu! Que não será nenhum pouco como o último, pois estou me formando na categoria “melhor do mundo”.

hihihi

A primeira vez a gente nunca esquece

Bom, a pedidos da platéia:

alô, alô, som. som. testando, alô-som. um dois três.

Então um real post teste pra pegar o jeito aqui do blog e de todas as frescurites que eu bem gosto e abuso. Um primeiro post de word press e um primeiro envolvimento assumidamente artístico e um primeiro projeto tão diferente dos que já vi/vivi(venci?). Uau, poderia até citar madonna, mas lhes poupo. Então enquanto marinheira de primeira viagem com aquele nível de excitação adolescente de quem nunca abriu o zíper de outra pessoa, inicio meu diário de bordo com o primeiro encontro com a tripulação! (chega de metáforas náuticas, até eu estou mareada. Essa foi a última, prometo.)

Bom. Tinha uma mesa cheia de quitutes, garanti meu lugarzinho no meio de tudo pra poder passar as primeiras duas horas comendo e… que mais? Ah sim, conversamos sobre baratas e outros seres voadores, combustão espontânea, tratados sobre barquinhos de papel, caipirismo-tunado, perda de memória, frigobar… E tinha bis e batom, sette-belo, tuna fish, coalhada seca.. Ah, já havia falado da comida.

Bom, acho que é isso de mais importante! Mal posso esperar até quinta que vem, será que sobrou um cadim de carne louca?

Mari Poppovic

mari_site

Mari Poppovic pegou gosto pelo desenho muito pequena, como quase toda criança, e não parou até agora, como quase todo desenhista. Por gostar de pensar personagens, achou que moda era um caminho e entrou na Faculdade Santa Marcelina em 2006. No fim acabou se encantando por criar roupa também, mas o papel e caneta ainda lhe davam mais arrepios. Costuma trabalhar com giz de cera, lápis, aquarela e marcadores nos cadernos que sempre carrega consigo.